O que é o mapa de calor e como ele pode ajudar a medir o fluxo de pessoas da sua empresa?

O perfil dos consumidores está mudando. Hoje, eles estão cada vez mais exigentes e as ações de vendas tornam-se cada vez mais desafiadoras. Seguindo a tendência, muitas empresas investem em soluções que visam melhorar a coleta e análise de informações, aumentando a força estratégica. O mapa de calor é uma delas. Já ouviu falar dessa tecnologia?

Considerando o fluxo de pessoas que circulam pela área, o mapa de calor pode ajudar o negócio a potencializar as vendas. Ficou interessado? Descubra tudo sobre a ferramenta a partir de agora!

O que é fluxo de pessoas?

O fluxo de pessoas representa a movimentação de um perfil de público (público-alvo, clientes, funcionários, fornecedores, torcedores de um time etc.) que circulam por uma região específica (delimitada), em um determinado momento. Nesse caso, temos três variáveis a serem medidas: público, área, tempo.

Qual a importância de conhecer esse fluxo?

Quando a empresa passa a observar o fluxo de pessoas de forma estratégica, consegue coletar dados que podem ser analisados para extrair informações de valor e atender uma grande variedade de objetivos.

Por exemplo: ao conhecer o fluxo de pessoas no entorno de um estádio em véspera de jogos, é possível definir em quais locais os elementos de infraestrutura (como banheiros, ambulâncias e quiosques de alimentação) ficam melhor posicionados.

O mesmo acontece em um shopping center. Ao estudar o fluxo de pessoas, é possível descobrir quais lojas registram um público passante maior, influenciando no valor do aluguel cobrado pelos pontos comerciais. Também é possível medir o impacto de uma campanha publicitária, comparando o público que passa em frente à loja com o que, de fato, entra.

Por que conhecer esse fluxo pode impulsionar os negócios?

Com dados precisos sobre o fluxo de pessoas é possível ter previsibilidade. Ou seja, dá para saber em quais dias e horários o movimento em determinada área é maior, concentrando esforço de vendas com maior potencial de retorno nessas áreas.

Se um lojista conhecer o volume, perfil e tempo de permanência do público próximo ao negócio, conseguirá criar campanhas publicitárias com técnicas de marketing mais precisas. Com acesso à qualificação desse público, dá para direcionar melhor as campanhas promocionais, trazendo resultados mais expressivos para o negócio.

Por exemplo: considere a área de alimentação de um shopping. Não adianta fazer uma campanha de chopp em dobro no dia e horário em que a maior concentração do público é menor de idade. A análise de fluxo de pessoas ajuda a resolver esse problema, indicando os períodos exatos de maior presença do público-alvo no local.

Essa estratégia também pode ser usada para atrair o público de um local para outro em um determinado período. Um ponto do shopping pode ficar muito vazio e outro muito cheio em algum momento do dia e o estudo de fluxo ajudará a descobrir essa sazonalidade. A partir daí, podem ser criadas campanhas de marketing para atrair o público e equilibrar melhor a distribuição dele no local.

O que é o mapa de calor?

O termo “mapa de calor” foi originalmente utilizado para identificar áreas com maior ou menor grau de temperatura ambiental. Serve para dimensionar a refrigeração, isolamento térmico e indicar o melhor posicionamento de pessoas e máquinas em um ambiente. Porém, como o termo entrega um entendimento mais fácil dos gráficos de frio e calor, passou a ser utilizado também em outras áreas.

Hoje, o termo foi adaptado com sucesso ao fluxo de pessoas. Essa tecnologia já é muito utilizada em transmissões esportivas, indicando o espaço percorrido e de maior concentração dos atletas em um campo ou quadra ao longo da partida, por exemplo.

Como um mapa de calor funciona?

A representação gráfica se dá por meio de uma planta baixa ou mapa com paleta de cores quentes (amarelo, laranja e vermelho) e frias (verde, azul e branco). Nesse caso, os locais de maior concentração de pessoas ou áreas percorridas por elas recebem a cor quente correspondente a maior intensidade (vermelho).

Antigamente, o mapa de calor era traçado manualmente, com contagens no olho. Uma equipe dedicada a coleta de dados ficava no local por dias e horas anotando em uma prancheta quantas pessoas passavam por lá. Agora, com os avanços tecnológicos, surgiram alternativas mais eficientes.

Contagem por imagem

Diversas câmeras são posicionadas estrategicamente para registrar a quantidade de pessoas que passa pelo local. Elas podem traçar o caminho percorrido pelo cliente e dizer quais saíram com sacolas das lojas. Apesar de promissora, ainda é uma solução muito cara, pois depende de câmeras com alta resolução e capacidade de processamento de imagens.

Contagem por Bluetooth

Sensores, chamados beacons, são espalhados pelo local para captar sinais dos dispositivos móveis presentes. Essa solução é mais barata que a contagem por imagem, mas todos os aparelhos precisam estar com o Bluetooth ativo para serem detectados.

Contagem por Wi-Fi

Assim como o Bluetooth, a contagem por Wi-Fi detecta o sinal dos dispositivos ao redor, mesmo não se conectando a rede. Isso é possível graças ao pedido de requisição que os aparelhos emitem, sendo automaticamente identificados. A solução é eficiente, já que quase todos carregam consigo um dispositivo móvel com tecnologia Wi-Fi.

Contagem por Redes Sociais

Estabelecimentos maiores, como centros comerciais, podem oferecer internet grátis aos presentes, desde que façam login por um perfil de rede social. Assim, podem coletar informações públicas dos usuários frequentadores do ambiente, como idade, gênero e estado civil, além de quantificar o fluxo de pessoas no local.

Quais são os benefícios de utilizar o mapa de calor?

Quando a empresa adota o mapa de calor, pode automatizar o processo de quantificação de fluxo de pessoas e dispor os dados em um gráfico, tendo recursos visuais que permitem uma análise mais rápida e certeira. Ou seja, além da coleta de dados, é importante ter uma ferramenta para classificá-los e extrair informações úteis.

Essas ferramentas são flexíveis e permitem customizar as análises, segmentando as informações e disponibilizando-as em relatórios e gráficos de fácil leitura, oferecendo suporte de alto nível as decisões estratégicas do negócio.

Como adotar um mapa de calor para o negócio?

Empresas como a Kalendae oferecem essa ferramenta e vão além, realizando a gestão do mapa de calor e disponibilizando as informações de modo customizado para que os clientes possam tirar melhor proveito da tecnologia.

O mais interessante é que a empresa cuida de tudo por você. Os processos de instalação dos “access points”, configuração, operação, monitoramento e customização de dashboards (painéis de controle) e relatórios, são de responsabilidade dela, dando total acesso aos clientes que contratarem a solução. Ao contar com alto nível de expertise, você pode ter resultados mais rápidos, sem equívocos e com economia no processo.

Considerando o potencial estratégico que o mapa de calor representa para os setores de marketing e vendas, ele é uma tendência que deve ganhar força. Aproveite a oportunidade para inovar e agregar maior força competitiva ao negócio!

Gostou da novidade? Assine a nossa newsletter agora mesmo e receba as próximas dicas diretamente no seu e-mail!

No Comments Yet.

Leave a comment