O que é Internet das Coisas? Conheça seu impacto nas empresas

O mercado de tecnologia muda rapidamente. Novas tendências surgem todos os anos, prometendo grandes mudanças para o ambiente corporativo. A Internet das Coisas, por exemplo, poderá melhorar a rotina de companhias de vários setores, como a indústria pesada e a área de saúde.

Para te ajudar a conhecer melhor o impacto que essa tecnologia proporcionará ao mundo empresarial, preparamos o texto abaixo. Continue a leitura e saiba mais sobre o impacto que a Internet das Coisas terá no seu dia a dia nos próximos anos!

O que é a Internet das Coisas?

A Internet das Coisas (IoT, ou Internet of Things, em inglês) é uma categoria de dispositivos inteligentes capazes de coletar, enviar e receber informações com uma conexão de rede. Ela é abrangente, incluindo sensores de atividades físicas, termostatos com conexões Wi-Fi e sensores de materiais químicos capazes de se conectarem à web. O seu impacto nos próximos anos promete ser grande o bastante para impulsionar a criação de novas tecnologias, como a Edge Computing.

Diante da sua abrangência, a Internet das Coisas pode ser vista em vários cenários. Para ser classificado como um item dessa categoria, porém, é fundamental que o dispositivo seja capaz de coletar informações, enviar os dados para um aplicativo ou software e, a partir das variáveis do ambiente, executar ações pré-definidas pelo usuário. Esse é o caso, por exemplo, dos termostatos inteligentes, que podem modificar a temperatura de um local de acordo com o número de pessoas ou o horário.

Quais os impactos da Internet das Coisas?

A IoT tem a capacidade de criar novos fluxos de trabalho e rotinas mais inteligentes em vários setores. Confira abaixo os impactos que ela causará em empresas como as de logística e saúde!

Logística

Na logística, a IoT promete tornar a gestão de frotas e processos de entrega mais inteligente, preciso e inovador. O gestor conseguirá identificar, em tempo real, o local em que uma mercadoria se encontra.

Isso permite a localização ágil de gargalos, melhora a experiência do consumidor no processo de compras e evita erros. Com os dados coletados, a longo prazo, será mais fácil otimizar e automatizar toda a cadeia de entrega de produtos.

Na gestão de frotas, será mais fácil acompanhar o estado de cada veículo. Dessa forma, as políticas de manutenção preventiva serão mais inteligentes e precisas. Além disso, o desperdício de recursos será mitigado.

Agricultura

Na agricultura, a Internet das Coisas conseguirá reduzir o uso de insumos agrícolas, auxiliar produtores a terem uma produção mais sustentável e reduzir desperdícios. Os sensores conseguirão detectar o nível de umidade e de nutrientes na terra e, assim, acionar o produtor sempre que for necessário repor algo. Dessa forma, fertilizantes e a água serão melhor aproveitados durante o crescimento de alimentos.

Saúde

Já na saúde, a Internet das Coisas permitirá que tratamentos e a prevenção de doenças sejam mais inteligentes e eficazes. O médico poderá acompanhar, em tempo real, uma série de dados do paciente, por exemplo. Isso possibilitará que problemas no quadro clínico sejam identificados rapidamente, além de ampliar o número de informações para diagnóstico.

Em um único local, será possível encontrar dados sobre a pressão, o nível de oxigênio no sangue e a variação do batimento cardíaco ao longo do dia. O tratamento também será mais automatizado: pessoas com diabetes, por exemplo, conseguirão receber pequenas doses de insulina ao longo do dia automaticamente, conforme o nível da enzima variar no sangue.

Na prevenção, a Internet das Coisas dará um número de informações nunca antes visto para médicos e pacientes. Quem pratica exercícios, por exemplo, conseguirá visualizar informações sobre o nível de estresse corporal, oxigênio no sangue e batimento cardíaco em tempo real. Isso reduzirá o impacto negativo que uma atividade pode, eventualmente, ter, além de facilitar o diagnóstico precoce de situações de risco.

Indústria

Na indústria, a Internet das Coisas será crucial para melhorar os processos de manutenção preventiva. O gestor industrial conseguirá coletar dados sobre toda a infraestrutura em tempo real.

Avaliando informações como o número de vibrações de um local, será possível identificar problemas nas máquinas e no ambiente. Com tais registros, a empresa poderá otimizar a manutenção dos equipamentos e avaliar quando é a hora certa de trocar uma peça ou atualizar um dispositivo. Assim, o corte de gastos será mais preciso e direto.

Comércio

O comércio também poderá se beneficiar da Internet das Coisas. Sensores de presença poderão ser utilizados junto a algoritmos de Big Data para avaliar o comportamento de clientes dentro de uma rede de varejos e, assim, permitir novos insights sobre o modo como cada loja é estruturada.

Em outras palavras, a empresa conseguirá otimizar continuamente o layout do seu ambiente de vendas. Os produtos ficarão organizados de uma forma mais atraente para os consumidores e, com isso, ficará mais fácil criar oportunidades de vendas.

Que cuidados o negócio deve ter ao investir na IoT?

Para investir na Internet das Coisas, alguns cuidados devem ser tomados. Eles auxiliam o negócio a aproveitar melhor o seu investimento sem que ocorram problemas de performance, falhas na coleta de dados ou riscos de segurança. Entre os principais, podemos apontar:

  • a preparação da infraestrutura de rede: em alguns casos, pode ser necessário revisar o perfil da infraestrutura de rede, aumentando a largura da banda e otimizando os dispositivos para evitar sobrecarga da conexão;
  • a revisão de todos os procedimentos de segurança de dados: a adição de novos dispositivos exige a reformação dos processos de segurança digital, das políticas de controle de acesso e privacidade digital;
  • o investimento em soluções de monitoramento de performance: para garantir que a empresa possa manter uma boa performance e segurança, ferramentas de monitoramento como o firewall podem ser integradas;
  • a criação de uma política de análise de dados: o Big Data e o BI devem ser adotados para otimizar o aproveitamento das informações coletadas com a IoT.

Nos próximos anos, uma série de tecnologias permitirá que empresas tenham uma atuação mais ágil, flexível e dinâmica. A computação em nuvem dará a mobilidade para empresas competirem entre si em grandes mercados. Já o Big Data e o BI tornarão a análise de dados uma parte crítica para os processos de planejamento e tomada de decisão.

Nesse sentido, a Internet das Coisas é uma das tendências de tecnologia de maior potencial. O uso de sensores inteligentes permitirá que negócios tenham um fluxo de trabalho com mais informações, menores riscos e mais agilidade. Assim, será mais fácil atender a demandas de mercado cada vez mais exigentes colocando a companhia a frente de seus concorrentes.

Como você utilizaria a Internet das Coisas em sua empresa? Fala pra gente nos comentários!

No Comments Yet.

Leave a comment