O que é firewall e como ele funciona?

A internet é parte crucial do funcionamento de várias empresas. Sem uma boa conexão os negócios podem ficar menos eficientes,  apresentar problemas de produtividade e ter a sua imagem comprometida. Além disso, há a necessidade de garantir a segurança dos usuários, das informações e sistemas estratégicos por meio de soluções como o firewall.

Hoje, o firewall tem papel-chave para evitar ataques e conexões maliciosas e pode ser considerado o primeiro ponto de defesa da infraestrutura corporativa. A escolha do modelo adequado, sua correta configuração e seu monitoramento reduz riscos e torna a infraestrutura de rede mais confiável e robusta. Quer saber mais sobre essa ferramenta e como ela pode te beneficiar? Então, leia o post abaixo!

O que é um firewall?

O firewall é uma solução de segurança digital que realiza o monitoramento e controle do acesso entre a internet e a rede do usuário, isolando estes dois ambientes e permitindo ou bloqueando o tráfego de acordo com as regras de segurança definidas e configuradas previamente.

O processo de verificação ativa dos dados que passam pela conexão tem como objetivo evitar a entrada ou a saída de pacotes de dados maliciosos e, assim, dar mais confiabilidade para o uso de serviços de rede.

Conforme a demanda do usuário, o firewall pode ser configurado para permitir o acesso a alguns recursos. Esse processo evita falsos positivos e, assim, dá a segurança necessária para a companhia sem comprometer a integridade dos processos que dependem da TI.

Em outras palavras, o firewall funciona como uma porta virtual para o uso de serviços de rede. Ele avaliará a estrutura de cada pacote e conexão de dados em busca de sinais de ataques para bloquear qualquer link malicioso.

Quais são os tipos de firewall existentes?

O firewall pode funcionar como um hardware ou software. Conhecer as características de cada tipo de ferramenta permite que o setor de TI faça uma escolha mais alinhada com o perfil da infraestrutura e, assim, garanta o máximo de proteção ao usuário. Veja os tipos abaixo!

Firewall UTM

Sigla para Unified Threat Management (Gerenciamento Unificado de Ameaças, em português), o firewall UTM é conhecido como uma solução flexível. Ele é capaz de combinar, em uma única ferramenta, as funcionalidades necessárias para prevenir acessos não autorizados, bloquear situações de risco e malwares.

Em alguns casos, essa ferramenta também traz mecanismos para gerenciar aplicações de cloud computing. Assim, o time de TI pode ter uma solução completa para gerir as suas rotinas.

Firewall de próxima geração

Essa é a nova geração de firewalls. Voltado para as ameaças modernas, esse tipo de ferramenta engloba:

  • todos os recursos tradicionais de um firewall;
  • ferramenta de prevenção de invasão integrada;
  • possibilidade de inclusão de novos feeds de atualizações;
  • técnicas para lidar com ameaças não conhecidas;
  • mecanismos para reconhecer aplicativos nocivos ativamente;
  • funcionalidades para identificar e priorizar riscos;
  • mecanismos de gestão centralizados.

Firewall de Proxy

Esse é um dos tipos de firewall mais antigos. Ele faz um “desvio” no tráfego de rede como um servidor de proxy para avaliar a qualidade dos pacotes de dados.

O firewall de proxy permite a utilização de recursos que, em geral, otimizam a qualidade da rede, como armazenamento em cache. Porém, se mal configurado, pode aumentar a latência da conexão e prejudicar o acesso a alguns recursos, além de ser um ponto único de falha.

Firewall com inspeção de estado

Esse tipo de firewall pode bloquear conexões conforme o estado da rede, a porta utilizada pelo usuário ou os protocolos de segurança. As conexões são monitoradas desde o momento em que são abertas até o seu fim, garantindo o máximo de abrangência para a sua atuação.

Para filtrar conteúdos, o firewall pode utilizar as configurações definidas pelo gestor de rede ou até mesmo o contexto de uso da internet. Ou seja, ele é capaz de definir, ativamente, se o comportamento do usuário representa uma ameaça para o negócio.

Como escolher o firewall adequado ao meu negócio?

Entre os vários tipos de firewall existentes, a escolha por aquele que apresenta o melhor custo-benefício pode ser um desafio. Portanto, a empresa deve estar preparada para identificar, entre as opções disponíveis, qual está mais alinhada com o seu perfil.

Para isso, uma série de estratégias podem ser tomadas, tais como:

  • defina o perfil da infraestrutura: faça um levantamento completo sobre os dispositivos e sistemas existentes, evitando problemas de compatibilidade;
  • avalie o suporte ao usuário: verifique com o desenvolvedor do firewall como é executado o seu suporte ao usuário;
  • identifique o perfil de uso da rede: para conhecer quais são os recursos necessários, é crucial identificar como a rede é utilizada pelos usuários;
  • identifique a performance necessária, em pacotes por segundo, velocidade de conexão, sessões simultâneas, etc. Para avaliar o modelo que mais vai se adequar;
  • busque o feedback de consumidores e publicações especializadas: avalie com clientes atuais e antigos como o fornecedor do firewall trabalha, a qualidade do seu atendimento e das suas soluções;
  • verifique a política de privacidade da ferramenta existente, garantindo que ela está alinhada com o perfil do negócio e a regulamentação local.

Avaliando esses fatores, a empresa conseguirá realizar uma escolha mais alinhada com as suas demandas e seu tipo de infraestrutura. O retorno sobre o investimento será elevado e a ferramenta poderá contribuir ativamente para tornar o ambiente de trabalho mais seguro e eficaz, sem comprometer a qualidade dos serviços prestados ou a performance dos profissionais.

Qual é a importância do firewall para empresas?

No ambiente corporativo moderno a internet passou a ter papel-chave para qualquer negócio. Ela é a base de uma série de operações e, em alguns cenários, permitiu a criação de negócios bilionários.

Diante do papel estratégico que a rede tem, é natural que empresas façam grandes investimentos nas suas infraestruturas. Em busca de maior qualidade e performance, muitos gestores adotam conexões mais ágeis e com alto nível de disponibilidade. Isso permite que tecnologias como a computação na nuvem sejam mais aproveitadas e a companhia possa atingir melhores resultados em médio e longo prazo.

Porém, o investimento em tecnologias de rede jamais deve ignorar a segurança de dados. Ao mesmo tempo em que a web serve para negócios criarem oportunidades de vendas e manterem seus profissionais conectados, ela também pode servir de acesso a ameaças.

Portanto, o investimento em soluções como o firewall é algo crítico. Ele fará uma verificação contínua de todos os aspectos da rede, evitando que conexões maliciosas sejam estabelecidas e que inovadores obtenham a capacidade de capturar e roubar informações valiosas. Dessa forma, a empresa pode evitar prejuízos e a perda de negócios causada por brechas de segurança.

Gostou deste post e quer receber outras dicas sobre segurança digital? Então, assine já a nossa newsletter!

No Comments Yet.

Leave a comment