Entenda o que é compliance e seu papel na segurança da informação

Você sabe o que são normas de compliance? Esse termo em inglês faz parte do dia a dia de muitos negócios.

Estruturado para tornar o ambiente corporativo mais confiável e seguro, o compliance é um setor estratégico para qualquer negócio. Com o apoio dele, a companhia evita multas, melhora a qualidade do seu trabalho e garante mais confiabilidade para as suas estratégias.

Diante da presença da tecnologia no dia a dia de várias empresas, as pessoas que trabalham estruturando as políticas de compliance devem sempre contar com o apoio do setor de TI para terem mais eficácia nas suas rotinas diárias. Quer saber o motivo? Então veja o post abaixo!

O que é uma política de compliance

O termo "compliance" vem do verbo "comply", em inglês, que significa "estar em conformidade com os regulamentos". Uma política de compliance, portanto, pode ser definida como um conjunto de normas de controle de trabalho para que a empresa possa atuar conforme regras do seu setor.

Essas regras são estruturadas a partir de uma série de regulamentações locais, da área de atuação do negócio, das exigências do seu mercado e até mesmo políticas internas de qualidade da empresa.

Quando eficaz e bem estruturada, a política de compliance pode evitar uma série de problemas para o negócio, tornando os seus processos mais seguros e confiáveis, uma vez que vazamentos e outros problemas de segurança serão menos frequentes.

O negócio também torna-se mais competitivo, pois ele consegue garantir aos seus clientes e parceiros comerciais um maior nível de integridade para as suas rotinas internas.

Além disso, a empresa evita prejuízos: como muitas normas de compliance tomam como bases as regulamentações que afetam o setor em que a empresa atua, as chances do empreendimento precisar pagar multas por não conformidade com regras locais torna-se mais baixa.

Qual é o papel do gestor de TI nos processos de compliance?

Com a integração profunda da tecnologia nos processos corporativos, o gestor de TI deve manter um trabalho contínuo com os profissionais da área. Essa atuação deve ter como principal objetivo garantir que todas as rotinas sejam executadas com um padrão mínimo de qualidade, em que todos possam ter as suas atividades fiscalizadas e a integridade da infraestrutura seja mantida em um nível elevado.

Caberá ao gestor de TI, portanto, estruturar processos de segurança digital, governança e gestão de TI que estejam em conformidade com as normas de compliance do negócio. Também é fundamental que o gestor faça escolhas que tornem a verificação do trabalho dos técnicos e dos usuários mais simples e prática.

Em outras palavras, com o apoio dos profissionais de TI, as normas de compliance tornam-se muito mais abrangentes. Como mostraremos a frente, o trabalho conjunto das duas áreas torna o ambiente corporativo mais seguro, robusto e protegido contra vazamentos. Assim, a empresa terá mais meios para se manter dentro das normas de atuação do seu setor.

Qual é a importância das políticas de compliance nas estratégias de segurança da informação?

Ao longo dos últimos anos, as estratégias de segurança digital ganharam grande importância para empresas. Sem elas, negócios podem ter informações roubadas, alteradas indevidamente e até mesmo enfrentar problemas jurídicos. Sabendo que os ataques tornaram-se mais frequentes e complexos, é crucial que empresas incorporem as estratégias de proteção aos processos de compliance.

Para que o compliance seja realmente eficaz, o negócio precisa estruturar processos de segurança de dados que também abordem meios digitais. Vivemos em um cenário em que contratos digitais, registros de vendas e investimentos são armazenados prioritariamente em ambientes virtuais.

Para que esse processo esteja em dia com as normas do setor, a política de segurança de dados deve ser feita com um trabalho integrado entre o setor de TI e o de compliance. Os mecanismos de controle precisam estar definidos de tal forma que o negócio possa utilizar dados em segurança, sem que terceiros capturem informações estratégicas.

Além disso, medidas preventivas e de mitigação de erros também devem ser estruturadas. Elas dão mais segurança para que técnicos possam atuar com rapidez, tanto para evitar problemas como para eliminar os existentes. Dessa forma, a companhia trará muito mais confiança para o seu ambiente de trabalho.

Quais ações podem ser adotadas para garantir a validade das rotinas de compliance?

Como apontamos anteriormente, o setor de TI possui um papel chave para reforçar políticas de compliance. Uma vez que a tecnologia esteja integrada a vários processos corporativos, cabe ao gestor incorporar estratégias para tornar o ambiente de trabalho mais seguro e confiável. Dessa forma, o negócio evita ficar fora de conformidade com qualquer norma ou regulação do seu mercado de atuação.

O controle de internet, por exemplo, deve ser abrangente. O empreendimento deve ter uma série de normas para evitar ataques, invasões à sua infraestrutura de rede e o uso indevido das suas conexões. Também é necessário manter o nível de segurança elevado, o que é feito com rotinas como:

  • o bloqueio de conexões de torrent, para evitar que a conexão seja utilizada para a distribuição de conteúdos ilegais;
  • o monitoramento contínuo da rede interna em busca de ameaças;
  • a atualização rápida e contínua da infraestrutura de TI;
  • a implementação de VPNs em dispositivos que são utilizados para regimes de home office ou trabalho remoto;
  • as normas de segmentação e controle de acesso;
  • a criação de regras de validação de hardware de terceiros para uso no ambiente corporativo;
  • o desenvolvimento de políticas de backup de dados;
  • a adoção de planos de mitigação de riscos e recuperação de falhas.

Tais processos tornam toda a infraestrutura de TI mais confiável e robusta. O uso da tecnologia será feito sem que as rotinas da companhia percam qualidade e transparência. Além disso, será mais fácil verificar erros e fatores que possam comprometer as normas de compliance internas.

Bem implementada, a governança de TI pode servir como uma ferramenta de apoio para profissionais que atuam no gerenciamento das regras de compliance interna. O gestor de TI terá meios para verificar erros e fiscalizar a ação dos usuários em tempo real. Assim, erros serão vistos com facilidade e todas as rotinas de trabalho terão um nível de segurança maior.

Gostou deste post e quer saber mais sobre como o compliance afeta o seu negócio? Então, assine já a nossa newsletter para receber mais novidades sobre o tema!

No Comments Yet.

Leave a comment