O que muda com a ITIL 4?

A nova atualização da ITIL, que levará o nome de ITIL 4, foi anunciada para o começo de 2019 e está gerando uma série de discussões entre os profissionais de TI e gerentes de projetos. As mudanças que estão por vir dão indícios de um alinhamento com outras importantes tendências da transformação digital, como o desenvolvimento ágil e o uso da nuvem.

Entretanto, é natural se deparar com algumas dúvidas em relação à ITIL. Afinal, qual é seu papel na rotina dos profissionais de TI? Quais são as mudanças anunciadas? Ainda vale a pena investir na certificação ITIL v3?

Neste artigo, você encontrará as respostas para essas perguntas de uma forma simples e didática. Confira!

O que é ITIL?

A biblioteca ITIL pode ser definida como um conjunto de práticas elaboradas para melhorar a produtividade do setor de TI. Seu objetivo primordial é otimizar os processos, a operação do uso da infraestrutura tecnológica de uma organização. Por isso, empresas de todo o mundo tomam a ITIL como guia para melhorar continuamente esse setor.

Resumidamente, trata-se de um framework para gerenciar os serviços de TI — para ser mais preciso, é o mais utilizado pelas empresas. Sua origem data da década de 1980, quando um grupo de empresas e desenvolvedores se reuniu para discutir estratégias para administrar o uso da tecnologia com mais eficiência.

Eles precediam conceitos como governança e gestão de serviços de TI. O resultado dessas discussões foi a construção de uma base de conhecimento compartilhada. Sua estrutura tem como alicerce os processos, funções e habilidades requeridas para um bom desempenho no setor.

Vale destacar que a ITIL não se trata de uma metodologia restritiva e engessada — pelo contrário. As práticas indicadas podem (e devem) ser adaptadas de acordo com as necessidades e particularidades de cada organização.

Qual a importância da ITIL para os profissionais de TI?

Dada essa característica de adaptabilidade para cada cenário, a ITIL se posiciona como uma importante referência para qualquer profissional de TI que busca alcançar um nível de excelência em sua performance. Para isso, são desenvolvidas habilidades específicas para gerar valor aos clientes por meio dos serviços.

Para entender como isso ocorre, é interessante olhar mais de perto para a estrutura da ITIL. A biblioteca foi elaborada em torno de três elementos: funções, processos e papéis. Esses fatores são os principais influenciadores do que chamamos de ciclo de vida do serviço, cujas etapas são:

  • estratégia de serviço;
  • desenho de serviço;
  • transição de serviço;
  • operação de serviço;
  • melhoria contínua de serviço.

Em grosso modo, é uma estrutura que visa guiar as melhores práticas desde o planejamento até depois da entrega de um serviço de TI. A relevância para os profissionais de TI está no fato de que ela cria um caminho seguro para a melhoria contínua de suas atividades.

Desde a sua primeira publicação,a biblioteca ITIL passou por algumas atualizações para abranger novos conceitos e tecnologias.

A ITIL v3, por exemplo, surgiu em 2007 com algumas atualizações importantes, como essa estrutura do ciclo de vida do serviço em 5 etapas. Conceitos como o DevOps também passaram a integrar possibilidades de implementação em parceria com a ITIL.

O DevOps é uma metodologia que busca integrar desenvolvedores e demais profissionais de TI para viabilizar a entrega contínua dos serviços. Assim, o cliente participa mais ativamente da criação e o produto é constantemente aperfeiçoado — mesmo depois da implementação.

Em 2011, uma nova edição da ITIL v3 surgiu com algumas atualizações. O objetivo era facilitar a leitura e compreensão das publicações.

Chegamos, então, à versão mais recente, a ITIL 4. Vamos às novidades anunciadas!

Quais as mudanças previstas para a ITIL 4?

Estamos em uma época de mudanças sem precedentes, conhecida como a Quarta Revolução Industrial. Essa revolução é marcada por tecnologias emergentes em áreas como robótica, inteligência artificial, nanotecnologia, Internet das Coisas (IoT), veículos autônomos e muito mais.

A ITIL 4 fornecerá uma base prática e flexível para apoiar as organizações em sua jornada para esse novo mundo da transformação digital, ajudando-as a alinhar seus recursos humanos, digitais e físicos para competir nesse complexo cenário e adotar essas tecnologias emergentes em suas operações de TI.

No anúncio da atualização da ITIL 4, é mencionada a inclusão de um guia prático para moldar e adaptar a estratégia de gestão de TI no ambiente de complexidade tecnológica crescente em que vivemos.

O desenvolvimento ágil é um bom exemplo. Com estratégias de entrega de versões quase diárias para os clientes, é preciso estabelecer formas de gerenciar essa situação com mais eficiência. A ascensão da computação em nuvem (cloud computing), por sua vez, insere o setor de TI em uma fase de migração de plataformas, serviços e até mesmo infraestrutura (IaaS) para ambientes digitais.

A estrutura de certificação atual começa pelo ITIL Foundation, passa pelo Practitioner, pelos níveis Intermediários até chegar ao Managing Across the Lifecycle (MALC) — esse último ainda pouco alcançado pelos profissionais da área.

No Foundation, por exemplo, a multiplicação e combinação de novas tecnologias sugere que a ITIL 4 pode não ser simplesmente um "redesign", mas uma reestruturação da ITIL v3. As definições de um serviço de TI ou processo de TI, por exemplo, podem ser reavaliadas.

O objetivo seria compreender mais a fundo a capacidade da própria empresa de gerar valor por meio da tecnologia que tem. Porém, sem dúvida alguma, o foco principal da ITIL V4 será dar mais agilidade e flexibilidade aos processos de TI.

No desenvolvimento, por exemplo, a atualização deve abranger, além do DevOps, os conceitos de Agile e Lean, para desenvolver mais rápido e com menos desperdício, respectivamente.

Essas mudanças se justificam (e tomam como base) as práticas reais dos profissionais da área. Essas experiência são captadas por meio do Programa Global de Pesquisa da Axelos e do trabalho coletivo do grupo de desenvolvedores da ITIL.

Ainda vale a pena investir na ITIL v3?

Sem dúvida alguma, a resposta é sim. Mesmo que ainda não haja certeza absoluta sobre todas as atualizações que serão feitas, as certificações atuais permanecerão válidas e continuarão globalmente reconhecidas mesmo depois do lançamento oficial da ITIL 4. Além disso, todos os créditos obtidos poderão ser utilizados no novo esquema de certificação que será anunciado.

O update deve representar, na verdade, um novo fôlego para a ITIL. O setor de TI, mais do que qualquer outro, convive com a necessidade de adaptação constante às novas demandas do mercado e da sociedade como um todo. A ITIL deve ganhar em flexibilidade, favorecendo um pouco mais os processos que têm a agilidade como pilar principal.

Nesse sentido, as práticas de gestão atuais devem funcionar de maneira complementar à ITIL 4 — uma integração de conceitos e frameworks que pode trazer um equilíbrio maior entre qualidade e agilidade na execução dos projetos.

Se quer saber mais sobre o assunto, inscreva-se gratuitamente em nossa newsletter e receba outros conteúdos relevantes sobre tecnologia!

No Comments Yet.

Leave a comment