IaaS, PaaS e SaaS – Descubra as principais diferenças aqui!

A escolha pelo seu modelo de nuvem ideal sempre dependerá de diversos fatores. Por isso, é importante que a companhia tenha mecanismos para identificar, entre IaaS, PaaS e SaaS, qual a melhor opção para o seu negócio.

Quer saber como isso é feito e quais os diferenciais de cada modelo? Então veja o nosso artigo abaixo e faça a escolha correta entre IaaS, PaaS e SaaS com segurança!

O que é IaaS?

A sigla para Infrastructure as a Service (ou Infraestrutura como Serviço, em uma tradução direta) é utilizada para definir um modelo de cloud computing em que a empresa contrata uma infraestrutura na nuvem. Ou seja, o usuário terá acesso a um conjunto de recursos básicos para gerenciar os seus serviços, provisionado e gerenciado pela web.

No IaaS é possível contratar, conforme a demanda, recursos como servidores, espaço de armazenamento, nível de processamento e interfaces de rede executadas na nuvem. Caberá ao provedor de serviços, nesse cenário, fazer a gestão da infraestrutura local, enquanto o usuário pode configurar middlewares, aplicativos e sistemas operacionais de acordo com o seu perfil de uso.

Ou seja, o IaaS funciona como a configuração de um data center local, porém em nuvem. A empresa fará a contratação de todos os recursos básicos para executar as suas aplicações e sistemas próprios e conseguirá escalar ou reduzir os serviços a qualquer momento.

Quais as vantagens desse modelo?

O investimento no IaaS traz várias vantagens para as empresas. Confira algumas das principais abaixo!

Redução de custos

No IaaS, o negócio não precisa direcionar recursos para a configuração e a manutenção de infraestrutura de hardware. Esses processos são compartilhados entre todos os usuários do serviço de cloud computing, eliminando gastos e dando mais foco à gestão de rotinas críticas.

Maior disponibilidade de recursos de TI

O IaaS traz mais disponibilidade para as informações da empresa. Elas ficarão acessíveis pela web em um ambiente de alta performance e com replicação automática de informações.

Como consequência, não só rotinas com alta mobilidade poderão ser aplicadas, mas a proteção contra desastres também será reforçada. Se algo de errado ocorrer localmente, os recursos seguirão acessíveis, evitando atrasos na entrega de serviços.

Maior possibilidade de resposta a demandas do mercado

Se existir a necessidade de modificar a infraestrutura de rede ou de software, as alterações serão aplicadas rapidamente. Isso dá mais competitividade para a companhia, que poderá realizar mudanças em prazos menores e, assim, atender rapidamente a demandas de clientes e parceiros comerciais.

O que é PaaS?

O PaaS (sigla para Platform as a Service, ou Plataforma como Serviço, em português), é um modelo de computação em nuvem que se posiciona acima do IaaS. Nesse caso, a empresa contrata um ambiente de TI já configurado conforme as suas necessidades, que pode ser acessado por qualquer dispositivo com conexão via web.

Ou seja, além da infraestrutura (servidores, espaço para armazenamento de arquivos, poder de processamento, interfaces de rede e memória RAM), o provedor de serviços também faz a entrega de parte das aplicações que serão utilizadas (como ferramentas de desenvolvimento, serviços de análise de dados, soluções para gestão de bancos de dados e sistemas operacionais).

Dessa forma, a companhia pode executar todo o processo de construção, teste e distribuição de um sistema sem ter que direcionar recursos para a gestão de TI. Em outras palavras, o PaaS dá ao usuário a possibilidade de não ter que lidar com os gastos para a aquisição e a gestão de licenças de software, infraestrutura e middlewares.

Quais os benefícios de investir no PaaS?

O PaaS traz as vantagens do IaaS e adiciona alguns benefícios para quem trabalha com soluções corporativas e de desenvolvimento. Veja alguns abaixo!

Possibilidade de construir sistemas com maior agilidade

O PaaS provisiona os recursos que o gestor necessita de modo automatizado. Isso diminui o tempo gasto para criar uma aplicação, uma vez que não há a necessidade de configurar IDEs, soluções de testes e distribuição de aplicações.

Maior precisão para gerir o ciclo de vida do aplicativo

O PaaS traz todos os recursos que a empresa precisa para gerenciar o ciclo de vida completo de uma aplicação. Da compilação aos processos de atualização, tudo será feito em um ambiente unificado, evitando erros e atrasos.

Maior integração de times

Como os recursos ficam disponibilizados em um ambiente unificado, a empresa terá times mais integrados. Isso ocorrerá mesmo que as equipes estejam fisicamente separadas, evitando conflitos.

O que é SaaS?

O SaaS (Software as a Service, ou Software como Serviço, em português), é um dos modelos de computação em nuvem mais tradicionais do mercado. Nele, a companhia licencia uma ferramenta de software corporativo, como suítes de aplicativos para escritório ou mesmo soluções de gestão de e-mail.

Em outras palavras, o SaaS permite o licenciamento de um ou mais softwares corporativos para serem executados diretamente na nuvem. O custo das assinaturas será modificado conforme o número de recursos e usuários ativos, sendo o provedor de serviços responsável por todas as atividades de gestão da infraestrutura e do ciclo de vida da aplicação.

Quais as vantagens desse modelo?

O SaaS ganhou popularidade pela sua possibilidade de reduzir custos e melhorar o foco do time de TI em atividades críticas. Veja as suas vantagens mais importantes abaixo!

Gestão de TI mais simples

No SaaS, a empresa não precisará controlar processos de update e backup de informações. Isso dá ao time de TI mais foco nos processos críticos e garante mais qualidade ao usuário.

Redução de custos

O pagamento no SaaS é feito sob demanda. Assim, a companhia deixa de arcar com os custos de uma licença não utilizada.

Como escolher entre IaaS, PaaS e SaaS?

A escolha pelo modelo de cloud computing ideal dependerá de vários fatores. O perfil do negócio e as suas demandas e objetivos serão alguns deles. Conhecendo como a cadeia operacional está estruturada, o gestor poderá avaliar o investimento mais seguro e, assim, fazer uma boa escolha.

O IaaS, por exemplo, normalmente é utilizado nos seguintes cenários:

Já a aplicação do PaaS, tradicionalmente, está relacionada com as seguintes atividades:

  • gestão do ciclo de vida de uma ferramenta de TI;
  • análise de dados com o Big Data;
  • estratégias de business intelligence.

Por fim, o SaaS é voltado para companhias que buscam um meio econômico de adquirir novas aplicações. Ele também tem como caso de uso ideal os negócios que precisam direcionar menos recursos para atividades de manutenção de TI, uma vez que essas rotinas passarão a ser responsabilidade do provedor de serviços.

Quando o gestor consegue identificar o modelo de cloud computing com maior nível de custo-benefício, os prejuízos são evitados. Tenha sempre em mente que modelos como IaaS, PaaS e SaaS têm grandes benefícios. Basta escolher o correto para a sua companhia ter mais competitividade e capacidade de migrar para a nuvem com segurança.

E aí, qual modelo de computação na nuvem está mais alinhado com o seu perfil de uso? Conta pra gente!

No Comments Yet.

Leave a comment