Edge Computing: saiba mais sobre esse modelo

Nos últimos anos, a tecnologia trouxe novos desafios. O aumento do nível de conectividade exigiu que as empresas de cloud computing criassem uma nova abordagem, capaz de lidar com a grande demanda por processamento ágil de dados. Ela ganhou o nome de Edge Computing.

Quer saber como esse conceito difere da computação em nuvem tradicional e quais são os seus benefícios? Então leia o post abaixo!

O que é Edge Computing?

A computação em nuvem trouxe uma série de benefícios para o ambiente corporativo. Porém, o uso dessa tecnologia para aplicações que se apoiam na Internet das Coisas (IoT) se mostrou um desafio para gestores de TI.

O excesso de informações que dispositivos da IoT enviam e recebem criaram uma experiência de uso com alto nível de latência e sobrecarga de rede. Para solucionar esse problema, uma nova abordagem sobre a nuvem se fez necessária.

Ela recebeu o nome de Edge Computing, um modelo em que a computação em nuvem é descentralizada para gerar mais qualidade nas conexões, além de reduzir os gargalos de rede e o tempo necessário para os registros serem processados.

Se na cloud computing tradicional os dados são enviados para um conjunto de servidores centrais, processados e enviados de volta para o dispositivo do usuário, aqui, há a criação de um gateway. Ele serve como uma "máquina intermediária", mais próxima do local em que o aparelho se encontra, que faz a análise das informações, reduzindo os tempos de resposta e a carga de trabalho dos servidores de cloud computing.

Em resumo, a Edge Computing pode ser vista como uma forma de descentralizar o armazenamento e/ou o processamento de informações que, em outros cenários, seriam enviados para a nuvem. Dessa forma, as ações são tomadas mais próximas do usuário, criando uma experiência de uso que demanda menos banda de rede, possui uma taxa de latência mais baixa e um tempo de resposta alto.

Quais os benefícios desse conceito?

O uso da Edge Computing no ambiente corporativo pode trazer vários benefícios, como já apontamos brevemente acima. Confira abaixo todos os ganhos que a empresa tem ao utilizar essa tecnologia!

Redução do uso de rede

Ao processar as informações localmente, muitas vezes no próprio dispositivo, a empresa pode reduzir drasticamente o uso da sua banda de rede. Para o negócio, isso melhora a conectividade das outras aplicações, além de permitir que a Edge Computing se torne uma realidade sem a necessidade de realizar grandes investimentos na infraestrutura local.

Aumento da qualidade dos serviços de TI

O processamento descentralizado otimiza o uso das aplicações que estarão apoiadas na Edge Computing. O tempo de resposta será menor, assim como os falsos positivos. Dessa forma, os equipamentos e o usuário poderão tomar decisões mais precisas e ágeis.

Melhora na segurança de dados

A Edge Computing evita que os dados sejam salvos em um único data center de cloud computing. Isso otimiza a privacidade do usuário, que terá menos registros sendo enviados para um ambiente externo e que esteja fora do alcance das políticas de controle do empreendimento.

Redução da latência

Uma baixa latência é crucial para o uso de várias aplicações. A Edge Computing permite que esse fator seja reduzido mesmo em conexões de baixa velocidade: o caminho que a informação precisará trafegar para uma solicitação ser processada será muito menor, garantindo que o tempo de resposta sempre seja baixo.

Como a Edge Computing se relaciona com novas tecnologias?

Nos próximos anos, a sociedade passará por grandes mudanças. Muitas estarão impulsionadas por novidades como a Internet das Coisas, os veículos autônomos e o uso de drones inteligentes para entregas: estes três itens mudarão setores por completo e tornarão o nosso dia a dia mais seguro e prático.

Na agricultura, por exemplo, a IoT pode ser utilizada para que sensores consigam identificar o estado do solo e auxiliar produtores a aplicarem fertilizantes na medida certa. Assim, a produção se torna mais sustentável e com um índice menor de desperdícios.

Já os carros autônomos prometem se tornar um meio de transporte mais econômico, ágil e seguro. Comunicando-se com outros veículos via rede, os automóveis reduzirão o tráfego e poderão tomar medidas para aumentar a segurança do usuário.

Os drones, por outro lado, poderão revolucionar processos de logística. Atuando na chamada "última milha", esses dispositivos serão fundamentais para automatizar processos de entrega e garantir mais agilidade para empresas.

Porém, para serem funcionais, todos esses dispositivos demandam um conjunto de servidores eficazes e com alto poder de envio e recebimento de dados. Nesse sentido, a Edge Computing se faz presente como um modo de reduzir o tempo necessário para o envio e recebimento de tais informações, tornando a experiência de uso mais agradável e garantindo que alertas falsos sejam menos frequentes.

Graças a sua abordagem descentralizadora, a Edge Computing pode ser fundamental para o crescimento de tecnologias que dependem de uma conexão constante. As informações serão analisadas mais próximas ao dispositivo e com o apoio de estratégias e protocolos que reduzem o uso da banda de rede.

Além disso, a segurança é ampliada. A Edge Computing permite que as informações sejam processadas e anonimizadas de um modo mais eficaz, evitando que ataques de captura de registros exponham as operações do negócio. Consequentemente, o investimento nas aplicações que fazem uso dessa tecnologia será muito mais robusto e confiável.

Como uma empresa de gerenciamento de serviços de TI pode auxiliar o seu negócio a utilizar essa tecnologia?

Todo investimento em TI necessita de um bom planejamento para evitar problemas. No caso das soluções baseadas na Edge Computing, esse suporte é ainda mais importante. Por se tratar de uma nova tecnologia, é importante que a companhia saiba alinhá-la com as suas estratégias da melhor forma possível.

Nesse sentido, a contratação de uma empresa parceira pode ser crucial para evitar problemas no investimento. Ela servirá de apoio para o negócio definir estratégias, reduzir erros e garantir mais retorno ao seu investimento. Dessa forma, a tecnologia será integrada de uma forma mais profunda ao dia a dia do negócio.

Os gestores terão a certeza de que os aplicativos poderão executar aplicações que demandam um grande uso de dados com a segurança de que o tempo de resposta e o consumo de recursos será baixo. Dessa forma, os aparelhos poderão ser integrados em mais processos, reduzindo riscos e custos, além de tornar a empresa mais inovadora.

A Edge Computing é uma tecnologia que pode tomar várias formas no ambiente corporativo. Há aplicações voltadas para o ambiente mobile, como o uso em veículos e smartphones. Ao mesmo tempo, elas podem ser estáticas, como o uso em um sistema de gestão predial.

Para todos os casos, a Edge Computing deve ser vista como um investimento estratégico. Essa tecnologia facilita a gestão de ferramentas, otimiza a integração da Internet das Coisas no ambiente corporativo e permite que empresas possam ser mais inovadoras e eficazes.

Atualmente existem alguns modelos de infraestrutura que podem ser utilizados para serviços em nuvem, os mais conhecidos são nuvem pública e nuvem privada. Veja em nosso blog as diferenças entre esses dois modelos e qual é o ideal para atender as demandas do seu negócio.

1 Response

  1. Testando

Leave a comment