Entenda o que é cloud computing e como sua empresa pode se beneficiar

Tarefas manuais e sujeitas a erros fazem parte da rotina de toda empresa que não adota cloud computing. Fazer backups, ter servidores em redundância e pensar na escalabilidade são tarefas que tomam tempo e consomem recursos.

No mundo atual, não faz mais sentido arcar com os gastos de manter um data center. Em alguns casos, sequer faz sentido ter suas próprias soluções de software: a cloud computing — ou computação em nuvem — possibilita ter uma gigante da tecnologia cuidando de seus recursos computacionais para você.

Essa tecnologia se encontra em estado maduro. Neste artigo, mostraremos o que é, como surgiu, como funciona, os tipos de nuvem e suas vantagens. Continue a leitura para entender a fundo como utilizar a computação em nuvem.

O que é cloud computing

Sua característica principal é o fato de contratar serviços de computação sob demanda em vez de mantê-los internamente. Isso vale para servidores, software, banco de dados, armazenamento, redes, análises e inteligência.

Assim, esse tipo de serviço substitui as máquinas físicas e sistemas da empresa. Em vez de comprar uma máquina física, contrata-se um plano e tem-se disponível, por exemplo, um servidor administrado por uma empresa especializada.

Entre os exemplos de cloud computing podemos citar a locação de servidores inteiros (IaaS), a contratação de sistemas prontos, isto é, softwares como serviço (SaaS), assim como a contratação de plataformas como serviço (PaaS), ou seja, plataformas configuradas e escaláveis.

Esses serviços são acessados pela empresa por meio da internet, com uma conexão mais segura que a padrão. As soluções de computação em nuvem são construídas de modo a ser possível aumentar a capacidade de processamento sem precisar parar as aplicações.

História da cloud computing

Embora seja uma tecnologia atual, o princípio básico da computação em nuvem remonta aos mainframes da década de 60. Essa tecnologia ainda está ativa, principalmente no universo bancário.

Assim como hoje centralizamos as aplicações e dados nos computadores na nuvem, naquela época os dados e aplicações ficavam no computador central das empresas, o mainframe.

Os usuários, então, utilizavam os sistemas e manipulavam os dados por meio de suas estações de trabalho. O que hoje é feito pela internet naquela época era feito na rede interna da empresa.

Outra tecnologia antiga que influenciou o surgimento da cloud computing foram os sistemas cliente-servidor. Populares nos anos 90, nesses sistemas existiam máquinas servidoras e máquinas clientes que se comunicavam na rede interna.

Atualmente, o sistema inteiro e os dados podem ser hospedados na nuvem. Os sistemas cliente-servidor, porém, eram divididos: uma parte ficava na máquina central e outra nos computadores, o que trazia problemas quanto às atualizações.

Foi com os sistemas web dos anos 2000 que a base do que se tem hoje como cloud computing foi possibilitada. Nesses sistemas, os dados e aplicações ficam em uma máquina central e são acessados por um navegador.

Outra tecnologia popular nessa época e que foi importantíssima para a computação em nuvem foram os sistemas de máquina virtual: uma máquina física podia simular vários computadores diferentes.

Com a evolução da conexão de internet, passou a ser possível remover as máquinas de dentro das empresas para locais remotos. Então, surgiu de fato o que conhecemos hoje como computação em nuvem.

No fundo, a computação em nuvem consiste em computadores superpotentes que rodam várias máquinas virtuais, nas quais instalamos nossas aplicações e dados que acessamos via internet.

Como funciona na prática

A primeira ação que você precisa fazer é contratar um plano. Existem planos gratuitos que permitem fazer os testes necessários para sentir a tecnologia. Após fazer esses testes, você poderá escolher o pacote de serviços que melhor atende ao que você precisa.

Uma vez o plano contratado, sua empresa poderá instalar suas aplicações, migrar seus dados e colocar seus arquivos. Tudo poderá ser acessado pela internet, com conexão segura. Isso torna a infraestrutura e os serviços de sua empresa prontos para serem acessados de qualquer lugar.

A partir daí, não há muito mais com o que se preocupar: a empresa prestadora do serviço garante os backups, a redundância, as atualizações e toda a segurança de que sua empresa necessita.

Uma das características mais interessantes é pagar apenas por aquilo que de fato foi utilizado. Caso seja necessário aumentar a capacidade de processamento, armazenamento ou número de usuários, basta mudar de plano.

Tipos de nuvem

Outro fator importante a ser considerado no momento de contratar um plano de cloud computing é o tipo de nuvem. Um deles garante maior economia, outro garante maior segurança. Para o meio termo, existe um modelo híbrido.

A nuvem pública é o modelo mais econômico. Nele os serviços que você contrata ficam em um ambiente compartilhado com outras empresas. Esse servidor fica em um data center do seu provedor de nuvem.

A nuvem com maior nível de privacidade é a nuvem privada. Nela existe a possibilidade de instalar uma nuvem no data center privado da empresa. Também é possível contratar máquinas dedicadas no data center do provedor de cloud computing.

Por último, temos o modelo híbrido, que mistura uma nuvem pública com uma privada. Nesse caso, os dados e as aplicações podem ser transmitidos entre as duas nuvens. Esse modelo garante mais flexibilidade.

Principais serviços em nuvem

Podemos classificar os serviços em nuvem em três categorias principais: IaaS, PaaS e SaaS. Cada um deles tem um nível de automação diferente, desde apenas a infraestrutura no IaaS até o software completo acessado com login e senha do SaaS. Em todos os casos, paga-se uma assinatura pelo serviço. A seguir, vamos conhecer melhor cada um deles.

IaaS

Infrastructure as a Service, ou infraestrutura como serviço, em português, é a modalidade de mais baixo nível de computação em nuvem. Nela são contratados serviços de máquinas físicas e estrutura de rede. Basicamente, trata-se de um data center remoto.

PaaS

Um degrau acima do IaaS está o Platform as a Service, ou plataforma como serviço. Nele, em vez de contratar apenas o hardware, também é contratada a plataforma de software. Pode ser desde apenas o sistema operacional até um ambiente mais completo, contando com servidor de aplicações e banco de dados.

SaaS

O nível mais alto entre os três, no contrato de Software as a Service aluga-se o software inteiro. Ou seja, a empresa paga uma mensalidade e tem acesso a um sistema totalmente funcional. É só fazer login e usar!

Vantagens da cloud computing

É possível ver logo de cara uma das principais vantagens da computação em nuvem: por não ser necessário se preocupar em comprar equipamentos, a economia já ocorre desde o início.

Mas é no dia a dia que a cloud computing mostra seu verdadeiro poder. A primeira diferença sentida é não ter a necessidade de contratar e manter uma equipe de manutenção para seus recursos tecnológicos. Toda a parte de atualização e manutenções é de responsabilidade do provedor de cloud.

Outro fator que pode fazer a diferença no dia a dia é a possibilidade de contratar um plano que permita acesso remoto seguro. Assim, de qualquer lugar do mundo seus colaboradores poderão acessar os servidores da empresa.

Conforme os dias vão passando e a empresa vai crescendo, basta trocar o plano que você contratou para ter um maior poder de processamento disponível. Isso sem precisar se preocupar em instalar nada: tudo é feito de maneira transparente.

Outra vantagem de adotar a cloud computing é poder se adaptar à sazonalidade. Assim, se sua empresa vende mais no Natal, é possível contar com recursos mais robustos apenas naquele período. Passada a sazonalidade, é possível voltar para um plano mais em conta. É economia o ano todo!

Em momentos de desastres, a computação em nuvem mostra outra de suas vantagens. Os servidores não ficam na sua empresa, assim, não há muito com o que se preocupar. Mesmo no caso de desastres naturais, suas informações e sistemas estarão a salvo.

Para aprender mais sobre computação em nuvem

Neste artigo, você aprendeu que a cloud computing é uma tecnologia atual bem amadurecida: seu conceito vem sendo usado praticamente desde que a computação surgiu.

Você pôde entender como a computação em nuvem funciona na prática, sendo necessária a contratação de um plano. Também entendeu as principais vantagens desse modelo de computação.

Aqui na Kalendae, você sempre encontrará materiais relevantes para aprofundar seu conhecimento em cloud computing. A melhor maneira de se manter atualizado é assinar a nossa newsletter e ficar sabendo em primeira mão o que acontece!

No Comments Yet.

Leave a comment